domingo, dezembro 24, 2006

Um Natal Feliz e tal...

terça-feira, novembro 28, 2006

a modos que uma homenagem...

Lembra-te
que todos os momentos
que nos coroaram
todas as estradas
radiosas que abrimos
irão achando sem fim
seu ansioso lugar
seu botão de florir
o horizonte
e que dessa procura
extenuante e precisa
não teremos sinal
senão o de saber
que irá por onde fomos
um para o outro
vividos

Mário Cesariny

segunda-feira, novembro 13, 2006


"Estás triste. Sei que hoje estás triste. E a tristeza é um pássaro que sangra a voar. Sei que estás triste e que gostarias de mudar a tua vida. Dar-lhe outro rumo, segurar os remos desse barco e remar para trás, em busca doutro rio, doutro cais, de um outro destino onde aportares. Hoje estás triste, e por isso te peço que encostes a tua cabeça no meu ombro. Chora, se queres. Lamenta e murmura palavras amargas e tristes, se isso aliviar a tua dor e levar sossego ao teu coração inquietado e triste. Pouco mais poderei fazer. Mas se puder apaziguar e aconchegar um pouco o teu coração, já terá valido a pena ter-te encontrado. Por isso, vem até mim e sossega. Nada temas: o que te roubaram ser-te-à dado por inteiro. Tristeza, perda, mágoa, tudo em amor te será dado."

quarta-feira, novembro 01, 2006

Bloodlust...

Bem não tenho tido muito tempo nem vontade de escrever alguma coisa para postar...
Mas ao fim d um tempo ca estou de novo. Há uns dias... Estava a falar com um amigo meu sobre a expressão "bloodlust". Como ele sabe desenhar, propus a ideia d ele fazer um desenho. Falamos, discutimos ideias, significados, simbolismos... O resultado pode ser visto aqui.
Comentem tanto no blog como lá ;P

sexta-feira, outubro 20, 2006

Meditação ou não...

A tendência geral para não dar valor ao que se tem…. Ninguém pode negar…. Parem, tornem-se ausentes de vocês por um momento, voltem-se e olhem. Contemplem-se, reconheçam-se e analisem-se… ninguém vos conhece melhor que vocês próprios… Toda a gente esta consciente das suas falhas e dos seus erros… Pode, e isso sim, não os querer ver… A tendência geral a dar importância ao que não se tem… ao invés de dar valor ao que se tem… tornamo-nos cegos, não queremos estar conscientes do que temos de positivo na nossa vida… buscamos constantemente uma falha, um erro, qualquer coisa a que nos possamos agarrar e afirmar: não estou bem. Esquecemos as boas memorias… habituamo-nos aos bons momentos e damo-los como certos… deixamos de lhes dar valor, pois são banais… Mas como o que nos corre mal, o que não nos é favorável, o que nos magoa tem tendência a ser raro… Dói e não se esquece… fica a pairar constantemente na nossa memoria… E quanto mais se repete, mais nos esquecemos do que tem valor…E tudo deixa de fazer sentido… tudo é cinzento e frio... e a memoria das cores que outrora faziam parte da nossa vida torna-se numa dor omnipresente que tudo eclipsa…

quarta-feira, outubro 18, 2006

À falta de ideias um pouco de cultura...

POEMA DO AUTOCARRO

Quantos biliões de homens! Quantos gritos
de pânico terror!
Quantos ventres aflitos!
Quantos milhões de litros
do movediço amor!
Quantos!
Quantas revoluções na cósmica viagem!
Quantos deuses erguidos! Quantos ídolos de barro!
Quantos!
até eu estar aqui nesta paragem
à espera do autocarro.
E aqui estou, realmente.
Aqui estou encharcado em sangue de inocente,
no sangue dos homens que matei,
no sangue dos impérios que fiz e que desfiz,
no sangue do que sei e que não sei,
no sangue do que quis e que não quis.
Sangue.
Sangue.
Sangue.
Sangue.

Amanhã, talvez nesta paragem de autocarro,
numa hora qualquer, H ou F ou G,
uns homens hão-de vir cheios de medo e sede
e me hão-de fuzilar aqui contra a parede,
e eu nem sequer perguntarei porquê.

Mas...

Não há mas.
Todos temos culpa, e a nossa culpa é mortal.

Mas eu só faço o bem, eu só desejo o bem,
o bem universal,
sem distinguir ninguém.

Todos temos culpa, e a nossa culpa é mortal.
Eles virão e eu morrerei sem lhes pedir socorro
e sem lhes perguntar porque maltratam.
Eu sei porque é que morro.
Eles é que não sabem porque matam.
Eles são pedras roladas no caos,
são ecos longínquos num búzio de sons.
Os homens nascem maus.
Nós é que havemos de fazê-los bons.

Procuro um rosto neste pequeno mundo do autocarro,
um rosto onde possa descansar os olhos olhando,
um rosto como um gesto suspenso
que me estivesse esperando.

Mas o rosto não existe. Existem caras,
caras triunfantes de vícios,
soberbamente ignaras
com desvergonhas dissimuladas nos interstícios.
O rosto não existe.

Procura-o.

Não existe.

Procura-o.
Procura-o como a garganta do emparedado
procura o ar;
como os dedos do afogado
buscam a tábua para se agarrar.

Não existe.

Vês aquele par sentado além ao fundo?

Vês?

Alheio a tudo quanto vai pelo mundo,
simboliza o amor.
Podia o céu ruir e a terra abrir-se,
uma chuva de lodo e sangue arrasar tudo
que eles continuariam a sorrir-se.

Não crês no amor?

?

Não ouves?

?

Não crês no amor?

Cala-te, estupor.
Tenho vergonha de existir.
Vergonha de aqui estar simplesmente pensando,
colaborando
sem resistir.

Disso, e do resto.
Vergonha de sorrir para quem detesto,
de responder pois é
quando não é.
Vergonha de me ofenderem,
vergonha de me explorarem,
vergonha de me enganarem,
de me comprarem,
de me venderem.

Homens que nunca vi anseiam por resolver o meu problema concreto.
Oferecem-me automóveis, frigoríficos, aparelhos de televisão.
É só estender a mão
e aceitar o prospecto.

A vida é bela. Eu é que devia ser banido,
expulso da sociedade para que a não prejudique.

Hã?

Ah! Desculpe. Estava distraído.
Um de quinze tostões. Campo de Ourique.


António Gedeão

terça-feira, outubro 17, 2006

Vamos la ver se isto não funca

Bem depois de quase um ano de inactividade venho comunicar que estou desposto a meter isto a andar outra vez =p

terça-feira, abril 18, 2006

wow

http://www.wimp.com/cowsong/

segunda-feira, março 27, 2006

Novo post! NOVO POST!!

Merda para isto tudo... tenho tentado meter umas imagens e só dá erro. ERRO!!

( Então vamos lá ver se pega... )

=) Postei

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

Tou velho

Bem uma semana depois de ter feito 21 anos vou fazer o balança.
Bem nasci por volta da hora do lanche (16 e tal) no dia 6 de fevereiro do ano da graça de 1985.
Nos primeiros anos a minha vida foi comer, dormir e cagar-me á mesa. E depois fiz 21 anos e continuou tudo na mesma.











To be continue...

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Parabens Satsujinkyou!

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

que criaturas...




O Morcego continua a sua vidinha
de sempre, de saudade
o que voa , imune
à voz da tempestade

-Raios o partam
Dizem o Abismo, a chuva , o frio
Mas ele vai, cambaleia
Vai de frente à sua vontade
foi a sua demanda, que o levou a isto
ao velho templo, à casa
de volta à sua irmandade

Chegaste a casa Morcego danado...
tiveste azar, cambaleaste
tal e qual gato escaldado
mas a quantos tu mostraste...
esse fato de guerreiro nunca antes derrotado...

Voaste imenso, rios compridos
montes abaixo,abismos ao lado
voaste sobre castelos fictícios
como diz Camões :
'por mares nunca dantes navegados'

Bem para quem me tem lido desde o princípio, o morcego já é uma personagem habituéé..
continua a sua saga em busca do perfeito ( e inpossível ), e pela
sua (breve???) felicidade....

saudações , beijinhos e abraços...

segunda-feira, janeiro 30, 2006

loooooooooooooooooooool




Pois é Pois é isto é uma lição, ou melhor um 'abre-olhos' para algumas das alminhas que me andaram a judiar durante a semana..quem se ri por ultimo ri-se melhor...
AHAHHAHAH
contemplem o belo vencedor deste sábado
Parabéns ao Sporting aqui vão algumas das piadasssssss que foram criadassssss no sábado e no domingo...

-Sabes que a economia nacional subiu à brava à pala dos Benfiquistas???
-Não.
-É que nasceram vários milhões de melões num minuto apenas..quando o jogo acabou...

-Sabiam que o Liedson foi Preso no Domingo????é que passou no sábado vários vermelhos e foi apanhado em excesso de velocidade...
LLOOOOOOOOOOOOOOOOLlllll


o Liedson é o melhor jogador brasileiro em portugal..que o diga o melhor Central da Selecção Brasileira....


Só digo mais uma coisa...foi uma lição de humildade.....